thumbnail transito de mercurio(Foto: NASA)

 

Um fenômeno astronômico relativamente raro ocorrerá na próxima segunda-feira, 11 de novembro de 2019. Na ocasião, o planeta Mercúrio passará em frente ao Sol e poderá ser observado em Foz do Iguaçu com um telescópio especializado, instalado no campus da Unioeste. Um evento deste tipo, denominado trânsito de Mercúrio, acontece cerca de 13 vezes por século. Outro fenômeno similar voltará a se realizar somente em 2032, em condições menos favoráveis.

A observação do trânsito de Mercúrio será um evento aberto à comunidade, iniciando-se por volta das 09h35, quando o planeta começará a ingressar em frente ao Sol, e prosseguindo até aproximadamente 15h04, quando o planeta terá completado sua travessia. A máxima aproximação de Mercúrio em relação ao centro do disco solar se verificará ao redor de 12h20. Os interessados poderão se dirigir ao local da observação na hora que considerarem mais oportuna. No entanto, caso as condições meteorológicas não estejam propícias, com nuvens encobrindo o Sol, a atividade será cancelada.

O evento será coordenado pelo professor Daniel Iria Machado, do Centro de Engenharias e Ciências Exatas do campus de Foz do Iguaçu da Unioeste, que possui graduação em Física, doutorado na área de Educação para a Ciência e experiência em atividades de pesquisa e extensão no campo da Astronomia.

O que é o fenômeno - Mercúrio é o menor dos oito planetas, o mais próximo do Sol e aquele que se move mais velozmente. É conhecido desde a Antiguidade e visível no céu a olho nu, próximo do horizonte, no período da alvorada ou do anoitecer.

O plano da órbita de Mercúrio possui inclinação de 7 graus em relação ao plano orbital da Terra. Existem dois pontos em que a órbita de Mercúrio intercepta o plano orbital da Terra, denominados nodos. Um trânsito ocorre quando Mercúrio cruza um nodo na mesma época em que está posicionado entre o Sol e a Terra.

A primeira observação de um trânsito de Mercúrio foi realizada em 7 de novembro de 1631, por apenas três astrônomos, munidos de telescópios, dentre os quais Pierre Gassendi (1592–1655), em Paris, confirmando a previsão feita por Johannes Kepler (1571–1630) em 1627.

Trânsitos de Mercúrio ocorrem nos meses de maio ou novembro. Em um trânsito no mês de novembro, o diâmetro aparente de Mercúrio apresenta-se 194 vezes menor que o do Sol. Deste modo, o planeta aparece na forma de um pequenino círculo escuro quando visto contra o disco solar.

Cuidados a serem tomados – O professor Daniel  explica que nunca se deve olhar diretamente para o Sol sem o uso de equipamentos preparados com filtros específicos para rejeitar o excesso de energia e bloquear radiações nocivas à visão. No campus da Unioeste em Foz do Iguaçu, o trânsito de Mercúrio será acompanhado de maneira segura com um telescópio solar dotado de filtro H-alfa. Este instrumento, além de facultar o exame da travessia de Mercúrio ao longo do disco solar, revela também detalhes da atmosfera do Sol presentes no momento, tais como proeminências que se destacam de sua borda, filamentos e manchas solares.

Texto: Marcos Oliveira

Foto: Nasa