Logo Unioeste
bannerposgraduacao

Agronomia

 

LABORATÓRIOS

O Centro de Ciências Agrárias, ao qual está vinculado o Programa de Pós-Graduação em Agronomia - PPGA, tem disponível uma infraestrutura que vem crescendo sistematicamente nos últimos anos. Este crescimento tem sido possível pelo comprometimento dos professores e dirigentes que têm buscado recursos a nível Estadual e Federal, além da iniciativa privada. Este esforço tem proporcionado o crescimento do Centro de Ciências Agrárias da Unioeste, bem como dos diversos Campi que formam a Instituição.

A seguir será apresentada esta infraestrutura no que tange aos laboratórios para ensino, pesquisa e extensão, Núcleo de Estações Experimentais, Biblioteca, Informática, Centros de Treinamento, bem como demais dependências disponíveis aos docentes e discentes.

Laboratórios de Ensino, Pesquisa e Extensão do Centro de Ciências Agrárias, afetos ao PPGA:

Laboratório de Química Ambiental e Instrumental

Laboratório de Física do Solo

Laboratório de Nematologia

Laboratório de Mecanização Agrícola

Laboratório de Monitoramento Ambiental, Topografia e Fotointerpretação

Laboratório de Tecnologia de alimentos

Laboratório de Fitopatologia

Laboratório de Bioquímica e Parasitologia

Laboratório de Microscopia

Laboratório de Agronomia

Laboratório de Fertilidade do Solo e Nutrição Mineral de Plantas

Laboratório de Extensão Rural

Laboratório de Pedologia e Geologia

Laboratório de Biologia e Botânica

Laboratório de Tecnologia de Sementes e Mudas

Laboratório de Controle Biológico

Laboratório de Entomologia

Laboratório de Cultura de Tecidos

Laboratório de Biometria

Laboratório de Fisiologia Vegetal

Laboratório de Mineralogia do Solo

Laboratório de Biotecnologia

Laboratório de Nutrição Animal

Laboratório de Parâmetros Sanguíneos

Laboratório de Anatomia e Fisiologia Animal

Laboratório de Zootecnia

Laboratório de Reprodução Animal e Genética

Laboratório de Análise de Mel


Para a implementação dos novos laboratórios do Centro de Ciências Agrárias, bem como reestruturação dos laboratórios já existentes, foi iniciada no primeiro semestre de 2010 a construção do Complexo de Laboratórios do Centro de Ciências Agrárias – CPDETCA no Campus de Marechal Cândido Rondon, com recursos provenientes de projeto aprovado no FINEP, Fundação Araucária, Secretaria de Ciência e Tecnologia e recursos próprios do Campus de Marechal Cândido Rondon. Para a construção deste prédio de Laboratórios, o Campus de Marechal Rondon, recebeu da Prefeitura Municipal uma nova área adjacente à área do Campus, que foi desapropriada.

O Complexo de Laboratórios do Centro de Ciências Agrárias – CPDETCA é mais uma obra importante como infraestrutura de laboratórios do Campus de Marechal Cândido Rondon, e terá área total construída de 2.322,72 m2 divididos em quatro módulos de dois pisos cada um, além de rampa de acesso. Cada módulo tem 580,68 m2 de área construída.

A previsão de finalização da construção do prédio de laboratórios (módulos I, II, III e IV) estava prevista para o final de 2018. Entretanto, devido ao atraso na liberação dos recursos e outros inconvenientes, a previsão para o término da obra é para 2019.


RECURSOS DE INFORMÁTICA

O CCA conta com dois Laboratórios de Informática multidisciplinares do Campus, contendo cada um 40 computadores, disponível para utilização dos pós-graduandos.

Para o PPGA está disponível uma sala de informática destinada exclusivamente aos acadêmicos da pós-graduação com aproximadamente 20 computadores para fins de pesquisas via internet e realização de trabalhos acadêmicos. Nestes computadores estão instalados softwares de estatística possibilitando aos acadêmicos realizarem análises estatísticas, bem como desenvolvimento de trabalhos, estudos e escrita de artigos científicos.

Quanto à possibilidade de realização de pesquisa bibliográfica para realização de trabalhos, seminários, estudos, projetos, dissertações e teses, os pós-graduandos têm acesso irrestrito em todos os computadores dos laboratórios de informática, bem como dos computadores da biblioteca e da sala dos pós-graduandos,  e também acesso ao portal de periódicos da CAPES, o que possibilita um amplo acervo de informações.

BIBLIOTECA

Atualmente, o acervo bibliográfico disponível na Biblioteca Central do Campus de Marechal Cândido Rondon dispõe de um acervo de aproximadamente 33.786 títulos de livros, sendo aproximadamente 52.881 exemplares.  Na área de Ciências Agrárias dispõe de aproximadamente 3.869 títulos de livros, sendo aproximadamente 5.896 volumes.

A Biblioteca conta atualmente com um moderno sistema de informação, disponibilizando parte do acervo para consulta on line, como é o caso das dissertações e teses do Programa (PPGA).

A estrutura da biblioteca é ampla, propiciando áreas para estudo individual e em grupo, bem como uma sala de vídeo-conferência e um miniauditório.

Considerando que se trata de uma Instituição multicampi, os acadêmicos do Curso de Pós-Graduação em Agronomia têm a possibilidade de fazer pesquisas em livros e periódicos na Biblioteca Central do Campus de Cascavel, que possui uma vasta gama de livros e periódicos na área de Ciências Agrárias e Ciências Biológicas. Atualmente a UNIOESTE possui um acervo de títulos de livros que totaliza 174.646 e 283.463 exemplares disponíveis, além de 7.660 títulos de periódicos nacionais e internacionais.

NÚCLEO DE ESTAÇÕES EXPERIMENTAIS  - NEE

Estações Experimentais

As estações experimentais têm como objetivo principal o suporte às atividades de ensino, pesquisa e extensão dos cursos de graduação e pós-graduação, bem como possibilitar a implantação de experimentos e campos demonstrativos voltados para a realização de dias de campo, treinamentos, entre outras atividades voltadas a comunidade.

Estação Experimental Prof. Dr. Antônio Carlos dos Santos Pessoa

A Estação Experimental denominada 'Prof. Dr. Antônio Carlos dos Santos Pessoa', com área total de 36,3 ha é de propriedade da UNIOESTE, sendo 26,62 ha doados pelo Município de Marechal Cândido Rondon (Lei nº 3.141 de 02/04/98) e os outros 9,68 ha obtidos através de permuta de área da Unioeste com o munícipio (Lei nº 3.504 de 05/09/2003). Nela estão presentes os setores de produção animal, como a bovinocultura de leite, a ovinocultura, a equideocultura, a avicultura, a cunicultura, a piscicultura, e a apicultura. A estação também conta com uma fábrica de rações, barracões, oficina e o centro de treinamento com salas de aula e laboratórios onde são ministradas aulas teórico/práticas, cursos de extensão e manuseadas amostras obtidas nos experimentos da área de produção vegetal.

Em função da produção animal, boa parte da área é ocupada por pastagem destinada a alimentação dos bovinos de leite, ovinos e cavalos, parte é cultivada com grama (Tifton) para a produção de feno e também é cultivado milho no verão e na safrinha (2ª Safra) para a produção de silagem e colheita de grãos que posteriormente serão utilizados na fabricação de ração. O restante da área é destinada para a realização de experimentos e aulas práticas com culturas anuais, espécies frutíferas, horticultura convencional e orgânica, entre outras.

Estação Experimental de Pato Bragado

A Estação Experimental de Pato Bragado, com área de 4,84 ha, é de propriedade da UNIOESTE (doação realizada pela Prefeitura Municipal de Pato Bragado, Lei n. 121/94 de 06/06/2004) e situa-se no município de Pato Bragado (Lote Rural nº. 13-b). Não apresenta infraestrutura que possa dar apoio à condução de experimentos que requeiram acompanhamento diário, sendo utilizada para a realização de experimentos com a cultura do pinhão manso, silvicultura, entre outras perenes.

Estação Experimental de Cultivo Protegido e Controle Biológico Prof. Dr. Mario César Lopes

A Estação Experimental de Horticultura e Cultivo Protegido 'Prof. Dr. Mario César Lopes' possui área de 0,55 ha. É de propriedade da UNIOESTE, Campus de Marechal Cândido Rondon e está situada próximo ao Complexo Poliesportivo na sede do município de Marechal Cândido Rondon.

Nessa Estação estão instaladas cinco casas de vegetação, sendo duas destas climatizadas, um telado para condução de experimentos com mudas de espécies frutíferas e um telado onde é mantido um jardim didático de plantas aromáticas e medicinais. Nesta área ainda estão localizados os Laboratórios de Controle Biológico e Biometria. Em ambiente protegido são conduzidos experimentos diretamente no solo, nas áreas de Olericultura, Fisiologia Vegetal, Melhoramento Vegetal, Fitopatologia, dentre outros, bem como experimentos em vasos, nas áreas de Solos, Nutrição de Plantas, Fisiologia Vegetal, Melhoramento vegetal, Entolomologia, Fitopatologia, Nematologia, etc.

Estação Experimental de Entre Rios do Oeste Prof. Alcebíades Luiz Orlando

Esta área, que fazia parte da infraestrutura das bases náuticas construídas na região, possui 99,64 ha e passou a ser administrada pelo Núcleo de Estações Experimentais a partir do ano de 2005. No ano de 2008, a Secretaria de Estado da Administração e da Previdência/Coordenadoria do Patrimônio do Estado, transferiu a área à Unioeste (Termo de Transferência de Imóvel nº. 001/2008, de 21/01/2008). Como principais objetivos, a Estação destina-se ao desenvolvimento de pesquisas, treinamento e capacitação de agricultores pela comunidade acadêmica e parceiros, buscando, principalmente, o fortalecimento da agricultura familiar, de Baixo carbono (ABC) e a agroecologia.

Para atender esta demanda, experimentos veem sendo realizados na área e uma parte (10,0 ha) está sendo conduzida nos moldes agroecológicos, cultivando-se espécies de adubos verdes (verão e inverno) para formação de cobertura do solo, melhorando as características físicas, químicas e biológicas.

Considerando que nesta área não se dispunha de nenhuma infraestrutura para dar suporte à realização das atividades, a Unioeste conseguiu viabilizar o valor de R$ 1.461.995,02 junto a Secretaria de Ciência e Tecnologia - SETI/UFG (Convênio n. 002/2010-GS/SETI-UNIOESTE), através do 'Programa para o Desenvolvimento Estratégico de Energias e Agrossistemas Sustentáveis' e do subprojeto 'Implantação do Núcleo de Desenvolvimento Tecnológico e Apoio à Agricultura Familiar Agroecológica'.

Com este projeto a Universidade deu um passo importante para melhorar a infraestrutura da Estação construindo um Centro de Treinamento e Difusão de Tecnologias à Agricultura Familiar com sala de aula, auditório e alojamento (598,0 m2); um Viveiro para processamento de sementes de espécies nativas e produção de mudas (449,09 m2), um Galpão de Máquinas e Equipamentos (526,06 m2) e uma Unidade Administrativa (96,0 m2).

Em 2011, professores do Centro de Ciências Agrárias elaboraram o projeto 'Consolidação do Núcleo de Desenvolvimento Tecnológico e de Apoio a Agricultura Agroecológica' submetido ao edital do 'Programa de Apoio à Pesquisa, Inovação e Extensão Tecnológica para o Desenvolvimento Social', do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, que foi contemplado com o valor total de R$ 633.550,32, sendo R$ 499.050,00 oriundos do MCT&I e R$ 133.500,32 da contrapartida do Campus de Marechal Cândido Rondon. Com estes recursos foram adquiridos diversos implementos agrícolas, equipamentos e materiais que irão melhorar a infraestrutura desta área para a realização de experimentos e o início das pesquisas envolvendo a agricultura de baixo carbono e agroecológica, seguindo o Modelo de Plataforma, na qual diversos parceiros terão acesso à área como sítio de desenvolvimento de pesquisa, transferência, formação e difusão de tecnologias.

Em de 2012 foi apresentado o Projeto de Implantação de Infraestrutura na Estação Experimental de Entre Rios do Oeste - PR: Rede de Energia Elétrica e Cercamento da Área da Sede e aquisição de equipamentos e mobiliários que resultou no Termo de Convênio TC 47/12 - SETI/UGF no valor de R$ 258.638,00. Com este convênio foi instalada a rede de energia elétrica na Estação, construída a cerca e foram adquiridas cadeiras com pranchetas para o auditório, carteiras para a sala de aula, projetores multimídia, tela de projeção, computadores, TV 42 pol de LED, mesa para sala de reuniões, aparelhos de ar condicionado, geladeira, mesas com banquetas, estações de trabalho, bebedouros, armários e arquivos de aço, para melhorar a infraestrutura da Estação Experimental e propiciar condições de desenvolvimento das aulas práticas, projetos de pesquisa e extensão.

Em 2013 foi aprovado um projeto financiado pelo CNPq para Manutenção do Núcleo e Implantação de Observatório de Ensino, Pesquisa e Extensão em Agroecologia, coordenado pelo Prof.ª Edleusa Pereira Seidel. Este projeto aprovou recursos no valor de R$ 192.000,00 para a aquisição de ferramentas, barracas para dia de campo, insumos, mobiliários para refeitório e máquinas como um peneirador de húmus, uma grade leve (niveladora) de 36 discos, além de um triturador de restos culturais, um arado de discos com reversão hidráulica e uma carreta basculante.

Em 2018, foram obtidos recursos para consolidação do Núcleo de Agroecologia da Unioeste com o projeto MCTIC  com título 'Centro Vocacional Tecnológico em Agroecologia e Mandioca do Oeste do Paraná'(convênio 01.0031.00/2018 no valor de R$ 555.551,00). Bem como foi firmado o convênio (n. 4500039695) com a ITAIPU para o Fomento de ações e estabelecimento de uma vitrine tecnológia da agroecologia na Estação Experimental Prof. Alcebíades Luiz Orlando, em Entre Rios do Oeste-PR, no valor de R$ 905.000,00.

Endereço:

Unioeste/Campus de Marechal Cândido Rondon
Rua Pernambuco, 1777, Bloco IV, Sala 63, Centro, Cx. Postal 91CEP: 85960-000 - Marechal Cândido Rondon