Logo Unioeste
bannerposgraduacao

Mestrado em Engenharia Elétrica e Computação

 

MISSÃO
Formar recursos humanos de excelência e assimilar, produzir e disseminar conhecimento nas linhas de pesquisa do programa, visando atender as demandas geradas pela sociedade, contribuindo com o progresso científico e tecnológico e promovendo o bem-estar social e o desenvolvimento sustentável.

VISÃO
Ser um centro de excelência em pesquisas teóricas e aplicadas nos campos das Engenharias, Computação e áreas afins, reconhecido pela formação de recursos humanos de qualidade, pela geração de conhecimento e pelas contribuições ao desenvolvimento socioeconômico da região oeste do Paraná e da tríplice fronteira - Brasil, Argentina e Paraguai.

VALORES
Respeito e valorização das pessoas, conhecimento crítico, ética; excelência, inovação, comprometimento e determinação.

O Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica e Computação (PGEEC), da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, obteve conceito 3 na Avaliação Quadrienal 2017, conforme Portaria de Reconhecimento do Ministério da Edudação, nº 609, de 14 de março de 2019 (sequência 2090). Tem por objetivo formar mestres altamente qualificados para atuar tanto em instituições de ensino quanto no segmento industrial.

O PGEEC compreende a formação em nível de Mestrado organizado na modalidade Acadêmico, visando o domínio técnico e científico na área de Engenharia Elétrica e Computação e familiarizando os recursos humanos formados com o uso de ferramentas e tecnologias avançadas, para conduzir processos de criação, transformação, disseminação e aplicação dos conhecimentos adquiridos.

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO
O PGEEC tem uma área de concentração denominada Sistemas Elétricos e Computação. Com esta área de concentração busca-se abranger o estudo, pesquisa e desenvolvimento de questões de natureza elétrica, biomédica e computacional, sendo aderente aos assuntos desenvolvidos pelos docentes do programa e para a qual estão direcionadas suas atividades.


LINHAS DE PESQUISA

  1. Sistemas elétricos de potência: visa contribuir com o avanço científico, de caráter teórico e prático, em problemas associados a sistemas elétricos de potência, tais como modelagem, análise e controle de sistemas elétricos e computacionais, entre outros. O foco é o estudo e a proposição de novas técnicas, visando a otimização de recursos, de operação e de desempenho nesta classe de sistemas.
  2. Controle, automação e inteligência computacional: tem em vista o avanço científico teórico e prático, envolvendo as temáticas de sistemas de controle, sistemas de automação, inteligência e segurança computacionais. Considera problemas de modelagem, análise, síntese de técnicas e algoritmos, otimização e aplicações nestas temáticas. Inclui, principalmente, teoria e aplicações de controle e automação, robótica, verificação formal, simulação computacional, técnicas de inteligência computacional, arquitetura e segurança em redes de computadores.
  3. Sistemas biomédicos: visa contribuir com o avanço científico, teórico e prático para a resolução de problemas relacionados à área biomédica, tanto por meio da análise e modelagem de problemas biomédicos quanto pela proposição de novos métodos e processos para auxílio na prevenção, diagnóstico, terapia de doenças e bem-estar humano.



OBJETIVOS DO CURSO
Formar mestres qualificados, tanto para atuar em instituições de ensino quanto para o segmento industrial, que possuam domínio técnico e científico na área de Engenharia Elétrica e Computação.

Formar recursos humanos com domínio do método científico, familiarizados com o uso de ferramentas e tecnologias avançadas para conduzir os processos de criação, transformação, disseminação e aplicação dos conhecimentos adquiridos em benefício do desenvolvimento regional e nacional.

Propor e conduzir atividades de pesquisa atualizadas e representativas perante o conhecimento científico existente, contribuindo com o desenvolvimento científico e tecnológico regional e nacional na área da Engenharia Elétrica e Computação.


REGIME DIDÁTICO
O Programa tem regime acadêmico semestral, sendo o ano letivo constituído por 1º e 2º semestres.
O número mínimo de créditos exigidos no Programa é de 48(quarenta e oito), seguindo a seguinte distribuição: 06 (seis) créditos em disciplinas obrigatórias; ao menos 18 (dezoito) créditos em disciplinas eletivas, e 24 (vinte e quatro) créditos atribuídos à aprovação da defesa da dissertação de mestrado.

Cada crédito em disciplina corresponde a quinze horas de atividades programadas, compreendendo aulas teóricas e práticas, seminários e tópicos especiais.
Aproveitamento e/ou equivalência de disciplinas, a critério do Colegiado do Programa, podem ser aceitos, desde que:

  • o Programa cursado tenha recebido, na avaliação da Capes, conceito igual ou superior a 3(três);
  • a disciplina seja pertinente às linhas de pesquisa do programa.
  • a disciplina tenha sido cursada nos últimos 05 (cinco) anos.
  • o conceito obtido tenha sido no mínimo ‘B’;
  • Os créditos obtidos no próprio curso, ou em outros cursos internos ou externos à Unioeste, como aluno regular ou especial, podem ser aproveitados na totalidade, a critério do Colegiado do Programa, desde que a disciplina tenha sido cursada nos últimos 05 (cinco) anos e que o conceito mínimo obtido na disciplina tenha sido ‘B’.


CORPO DISCENTE
O corpo discente do PGEEC é formado por discentes regulares e especiais.
  • Discentes regulares são aqueles selecionados de acordo com os critérios do edital público de seleção, apreciado pelo Colegiado, e devidamente matriculados.
  • Discentes especiais são aqueles selecionados de acordo com os critérios do edital público de seleção, apreciado pelo Colegiado, e devidamente matriculados em disciplina, sem direito à obtenção do grau de mestre.
  • O discente especial fica sujeito, no que couber, às normas da Unioeste e do Programa aplicáveis ao discente regular, fazendo jus ao certificado de aprovação em disciplina, expedido pela Secretária Acadêmica.
  • O discente especial pode cursar, no máximo, 50% dos créditos exigidos para o curso em questão.
  • As disciplinas aptas para receberem alunos especiais serão definidas pelo Colegiado e tornadas públicas em Edital específico para processo seletivo de alunos especiais.


INTEGRALIZAÇÃO DO CURSO

A integralização do curso por parte do aluno ocorrerá ao atender os seguintes requisitos:

  • Aprovação em pelo menos 24 créditos em disciplinas, sendo 06 (seis) créditos em disciplinas obrigatórias e ao menos 18 (dezoito) créditos em disciplinas eletivas, incluindo as disciplinas convalidadas pelo Colegiado, de acordo com regulamento específico do programa;
  • Apresentação de certificado de proficiência em língua inglesa;
  • Comprovação de produção científica relevante, conforme descrito em regulamento específico do programa;
  • Realização de estágio de docência para bolsistas, conforme exigência dos órgãos de fomento.
  • Aprovação no exame de qualificação;
  • Defesa pública da dissertação de mestrado, com aprovação pela banca examinadora.

O egresso do curso de mestrado em Engenharia Elétrica e Computação tem formação fundamentada em ferramentas e conhecimentos avançados de modelagem e análise, o que lhe permite compreender, propor e conduzir projetos e aplicações de engenharia que possam envolver estruturas elétricas, mecânicas e computacionais. O profissional está apto a receber e interpretar informações, transformando-as em conhecimentos a serem aplicados no mundo globalizado atual, de forma rápida e eficaz, considerando aspectos técnicos, éticos e sociais.

Dado o perfil do curso e as características da região da tríplice fronteira, o profissional formado poderá, facilmente, integrar-se a projetos, atividades e empreendimentos voltados ao desenvolvimento tecnológico regional, como profissional altamente qualificado para geração e desenvolvimento de novas tecnologias que são demandadas na região, seja no âmbito empresarial ou na docência de nível superior.



Endereço:

Unioeste/Campus de Foz do Iguaçu
Av. Tancredo Neves nº. 6731 - Jardim Itaipu - CEP: 85867-900 - Bloco 05, Espaço 02, Sala 08 - Fundação Parque Tecnológico Itaipu