Logo Unioeste

A Pedagogia Histórico-Crítica foi idealizada inicialmente pelo Prof. Dermeval Saviani no final da década de 1970, em 1979, no contexto da ditadura civil-militar, opondo-se às pedagogias não críticas e crítico-reprodutivistas. Recebe seu nome definitivo somente em 1984. Inicialmente, tratava-se de uma produção praticamente individual. Depois, dissemina-se e assume um caráter cada vez mais coletivo. Na atualidade, PHC e história da educação brasileira praticamente se confundem, de tal modo que não dá para explicar uma sem considerar a outra.

Ao longo do tempo, a PHC tem acumulado reflexões e produções; tem organizado seminários e jornadas; tem realizado diversas tentativas de institucionalização; tem se transformado numa relevante trincheira de luta em defesa da educação pública, gratuita e universal; de combate contra o desmantelamento do sistema público de ensino; contra as posições retrógradas e conservadoras, enfim, tem se transformado num instrumento de resistência contra as privatizações e de luta em defesa dos interesses da classe trabalhadora.

A importância de estudar a PHC deve-se ao fato de ser a principal Teoria Pedagógica existente na atualidade no Brasil e, quem sabe, no mundo. Trata-se de uma pedagogia contra hegemônica, que objetiva ser hegemônica e construir uma educação para outra sociedade. Daí a necessidade de nos organizarmos e compreendermos seus pressupostos, fundamentos, sua teoria e, a partir disso, realizarmos uma prática / ação pedagógica adequada a ela. Afinal, não há prática consequente sem conhecimento apropriado. Por isso, como nos diz Gramsci, "Instruí-vos, porque precisamos da vossa inteligência. Agitai-vos, porque precisamos do vosso entusiasmo. Organizai-vos, porque carecemos de toda a vossa força"