Logo Unioeste
0
0
0
s2sdefault

nardel 111

À frente do Centro de Ciências Agrárias (CCA) do Campus de Marechal Cândido Rondon da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) pela segunda vez está o professor-doutor Nardel Luiz Soares da Silva.

Nardel é engenheiro agrônomo pela Universidade Federal de Santa Maria, mestre em Agroecossistemas pela Universidade Federal de Santa Catarina e doutor em Agronomia pela Universidade Estadual de Maringá. É docente associado da Unioeste desde 2000, ministrando aulas nos cursos de graduação em Agronomia e Zootecnia e no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural Sustentável.

Além disso, é um dos líderes do grupo de pesquisa GIIPEDES (Grupo Interdisciplinar e Interinstitucional de Pesquisa e Extensão em Desenvolvimento Sustentável) e Tutor do PET-Agronomia no Triênio. Já foi coordenador do Laboratório de Extensão Rural, coordenador do curso de Agronomia duas gestões, e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural Sustentável também em duas gestões.

Igualmente, é coordenador de vários projetos de extensão como: Adequação Técnica e Ambiental de Propriedades Rurais Unioeste/Itaipu; Programa Universidade Sem Fronteiras/Fundação Araucária e PROEXT/MEC/SESu.

1. Diretor, quais os projetos imediatos que o senhor tem para o seu Centro na gestão 2020-2023?

  1. Realização de um Workshop do Centro de Ciência Agrárias no início do ano letivo para discutir e propor participativamente, as ações que serão desenvolvidas ao longo do ano de 2020.
  2. Buscar junto a Direção Geral do Campus a redistribuição do espaço físico para adequar o ambiente de trabalho da Direção do Centro, das coordenações dos cursos e das salas dos professores.
  3. Trabalhar junto à Direção de Campus para a conclusão da construção do Bloco de Laboratórios do CCA, bem como colocar em funcionamento o mais breve possível.
  4. Projeto de Fortalecimento das relações pessoais e profissionais da comunidade acadêmica do centro de ciências agrárias – café com-ciência pedagógica;
  5. Buscar junto ao Campus e a Reitoria Assistência Médica e Psicologia para Estudantes, Professores e Funcionários.
  6. Solicitar contratação de professores para manutenção e/ou ampliação do quadro de professores do CCA;
  7. Realização de atividades esportivas e culturais para integração da comunidade acadêmica.

2. Qual o planejamento, a longo prazo, para sua gestão?

  1. Fortalecer a criação de parcerias com empresas públicas e privadas;
  2. Apoiar o desenvolvimento de ações para melhorar o conceito dos cursos de graduação e de pós-graduação do CCA
  3. Envolver a comunidade acadêmica do CCA, em um processo de gestão participativa, com realização de Rodas de Conversas, Reuniões, Seminários e Workshop para planejamento, desenvolvimento e avaliação das ações;
  4. Potencializar as relações da Universidade com organizações ligadas a agricultura, ampliando as possibilidades de mercado de trabalho para os futuros profissionais das Ciências Agrárias;
  5. Desenvolver ações para capacitação dos docentes no uso das TIC´s no processo de ensino, como também em Metodologias e Estratégias Didático-Pedagógicas;
  6. Readequação dos PPP’s e implementar a Curricularização das atividades de Extensão.
  7. Apoiar as iniciativas para Criação e estruturação do Núcleo de Referência em Agroecologia na área experimental de Entre Rios do Oeste.
  8. Implementar cursos de curta duração na modalidade EAD voltados para o desenvolvimento rural.
  9. Apoiar a implantação de novos cursos de graduação e pós-graduação, de acordo com as demandas da comunidade, bem como, das políticas institucionais de expansão. 

3. Como se compõe o Centro hoje?

O Centro de Ciências Agrárias CCA, é constituído por dois Cursos de Graduação (bacharelado): Agronomia e Zootecnia, e por três Programas de Pós-Graduação stricto sensu: PPGA-Agronomia, PPZ-Zootecnia e PPGDRS-Desenvolvimento Rural Sustentável. Os Três Programas oferecem os níveis de Mestrado e Doutorado.

Os cursos de graduação, Agronomia e Zootecnia, ofertam cada um, 200 vagas anuais, totalizando 400 vagas. Sendo que no ano letivo de 2019 haviam 194 acadêmicos matriculados no Curso de Agronomia e 149 acadêmicos matriculados no curso de Zootecnia.

O Curso de agronomia teve início no ano de 1995, está diplomando a 21 turma, totalizando 721 profissionais diplomados, com uma média de 34 egressos por turma. O Curso de Zootecnia está diplomando a 17 turma, totalizando 404 profissionais diplomados, com uma média de 24 egressos por turma.

Já os três programas de pós-graduação ofertam um total de até 100 vagas para os mestrados e até 70 vagas para os doutorados, totalizando 170 vagas.

TESES E DISSERTAÇÕES

PPGA – Programa de Pós-Graduação em Agronomia: 296 dissertações e 91 teses.

PPZ – Programa de Pós-Graduação em Zootecnia: 164 dissertação e 9 teses.

PPGDRS – Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural Sustentável: 130 dissertações e 2 teses.

Totalizando 692 trabalhos, sendo 590 dissertações e 102 teses.

O corpo docente do Centro de Ciência Agrárias

Atualmente o CCA conta com 48 docentes, sendo 42 permanentes e 6 colaboradores, com a seguinte titulação: Doutores 34; 12 Pós-Doutores e 2 mestres.

Infraestrutura das Estações Experimentais e Laboratórios

O CCA, têm a sua disposição uma grande infra-estrutura para o desenvolvimento das atividades de ensino, pesquisa e extensão, mas merece destaca-se às áreas das estações experimentais para o desenvolvimento das atividades, sendo as seguintes:

Estação Experimental da Linha Guará - Marechal Cândido Rondon: 36,3 hectares;

Estação Experimental de Entre Rios do Oeste: 99 hectares;

Área de cultivo protegido - Marechal Cândido Rondon: 1 hectare.

Totalizando 136,3 hectares de área para o desenvolvimento de atividades de ensino, pesquisa e extensão.

As estações contam também, com uma ampla área construída e com maquinário e equipamentos que dão suporte as atividades.

Também o complexo de Laboratórios CPDETCA - com 33 laboratórios que serão inaugurados neste ano para as atividades de ensino, pesquisa e prestação de serviços.

As atividades de ensino, pesquisa e extensão dos cursos contemplam responsabilidades econômica, social e ambiental, dessa forma, os projetos pedagógicos desses cursos visam o aprendizado de tecnologias de produção fundamentadas nas diretrizes de minimização dos impactos ambientais impostos pelos modelos convencionais de produção animal e vegetal e para a proposição de alternativas de produção, preconizando o aumento de renda dos agricultores, a diversificação de cultivos e de criações animais e o desenvolvimento regional de agroindústrias.

0
0
0
s2sdefault