Logo Unioeste
 21/03 – DIA INTERNACIONAL DA SÍNDROME DE DOWN








Síndrome de Down, ou trissomia do cromossomo 21, é uma alteração genética causada por um erro na divisão celular durante a divisão embrionária. Os portadores da síndrome, em vez de dois cromossomos no par 21, possuem três. Não se sabe por que isso acontece.

Em alguns casos, pode ocorrer a translocação cromossômica, isto é, o braço longo excedente do 21 liga-se a um outro cromossomo qualquer. Mosaicismo é uma forma rara da síndrome de Down, em que uma das linhagens apresenta 47 cromossomos e a outra é normal.

Alterações provocadas pelo excesso de material genético no cromossomo 21 determinam as características típicas da síndrome:

* Olhos oblíquos semelhantes aos dos orientais, rosto arredondado, mãos menores com dedos mais curtos, prega palmar única e orelhas pequenas;

* Hipotonia: diminuição do tônus muscular responsável pela língua protusa, dificuldades motoras, atraso na articulação da fala e, em 50% dos casos, por cardiopatias;

* Comprometimento intelectual e, consequentemente, aprendizagem mais lenta.

Diagnóstico

Durante a gestação, o ultrassom morfológico fetal para avaliar a translucência nucal pode sugerir a presença da síndrome, que só é confirmada pelos exames de amniocentese e amostra do vilo corial.

Depois do nascimento, o diagnóstico clínico é comprovado pelo exame do cariótipo (estudo dos cromossomos), que também ajuda a determinar o risco, em geral baixo, de recorrência da alteração em outros filhos do casal. Esse risco aumenta, quando a mãe tem mais de 40 anos.

Tratamento

Crianças com síndrome de Dowm precisam ser estimuladas desde o nascimento, para que sejam capazes de vencer as limitações que essa doença genética lhes impõe. Como têm necessidades específicas de saúde e aprendizagem, exigem assistência profissional multidisciplinar e atenção permanente dos pais. O objetivo deve ser sempre habilitá-las para o convívio e a participação social.

Recomendações

* A notícia de que uma criança nasceu com síndrome de Down causa enorme impacto nos pais e na família. Todos precisam de tempo para aceitá-la do jeito que é, e adaptar-se às suas necessidades especiais;

* A estimulação precoce desde o nascimento é a forma mais eficaz de promover o desenvolvimento dos potenciais da criança com síndrome de Down.  Empenhe-se nessa tarefa, mas procure levar a vida normalmente. Como todas as outras, essa criança precisa fundamentalmente de carinho, alimentação adequada, cuidados com a saúde e um ambiente acolhedor;

* O ideal é que essas crianças sejam matriculadas em escolas regulares, onde possam desenvolver suas potencialidades, respeitando os limites que a síndrome impõe, e interagir com os colegas e professores. Em certos casos, porém, o melhor é frequentar escolas especializadas, que lhes proporcionem outro tipo de acompanhamento;

O preconceito e a discriminação são os piores inimigos das crianças com Síndrome de Down. O fato de apresentarem características físicas típicas e algum comprometimento intelectual não significa que tenham menos direitos e necessidades. Cada vez mais, pais, profissionais da saúde e educadores têm lutado contra todas as restrições impostas a essas crianças.





http://drauziovarella.com.br/crianca-2/sindrome-de-down/

História

NO MUNDO

O Power Soccer ou Powerchair Football foi criado paralelamente no Canadá e França, nos final dos anos 70. Na França, um grupo de profissionais criaram o “Power Chair Football”, em 1978, para reabilitação de jovens com deficiências graves. Um ano depois, o Canadá, sem qualquer contato com os franceses, desenvolveu uma forma de futebol em cadeira de rodas motorizada, que eles chamaram a princípio de Motor Ball. Mais tarde, Motor Football e posteriormente Power Soccer como é conhecido atualmente nas Américas. No início dos anos 80, o “Power Soccer” foi exportado para os EUA, Japão e Inglaterra, enquanto o “Powerchair Football” estava sendo praticado na Bélgica, em Portugal e na Suíça. Power Soccer diferia de Powerchair Football, pois não tinha limite de velocidade, usava uma bola muito grande e não permitia a substituição dos jogadores durante a partida. Durante 25 anos, vários estilos foram desenvolvidos. Inspirados nos modelos canadense e francês, cada país criava adaptações conforme necessidades próprias.

Até que em janeiro de 2005, por iniciativa da França, representantes dos EUA, Canadá, Japão, Inglaterra e Portugal se reuniram em Paris, na França, para discutir a possibilidade de tornar o esporte internacional. A data foi criada para harmonizar os quatro principais estilos do jogo (francês, canadense / americano, japonês, inglês), a fim de criar uma nova disciplina internacional. Nove meses depois, Dinamarca e Bélgica juntaram-se aos seis países. Uma reunião em Portugal finalizou o Livro de regras internacionais criando, oficialmente, o Powerchair Football. Nos meses seguintes, foi escrita a nova regulamentação paradesportiva e os artigos para criar a Federação Internacional foram finalizados.

No dia 16 de outubro de 2006, em Atlanta, EUA, as novas regras foram testadas e validadas. Com a presença de todos os países praticantes, além de representantes da Turquia e Coréia do Sul, os artigos da nova Federação foram adaptados em Assembleia Geral e foi criada oficialmente a International Federation of Powerchair Football (FIP-FA), Federação Internacional de Futebol em Cadeira de Rodas em português, com sede em Paris, França. Nesse mesmo período, foi criada a maioria das associações nacionais de futebol em cadeira de rodas.

NO BRASIL

Apesar de o Brasil ser conhecido como o país do futebol, não existia no país nenhuma iniciativa para prática do esporte. Em meados de 2010, um grupo de amigos, no Rio de Janeiro, se reuniu no intuito de obter as informações necessárias para desenvolver o Power Soccer no País.

Após diversas reuniões e busca de informações, no dia 16 de janeiro de 2011, nasceu a Associação Brasileira de Futebol em Cadeira de Rodas – ABFC, que cinco meses depois foi reconhecida pela FIPFA, tornando-se o 1º Membro Sulamericano a desenvolver a modalidade.

A SELEÇÃO BRASILEIRA

A primeira convocação da seleção brasileira de Power Soccer aconteceu em março de 2014. Durante três dias 12 atletas pré-convocados e comissão técnica ficaram concentrados na ANDEF, em Niterói, município do RJ. Foram três dias de palestras e treinos que ajudaram a definir os oito atletas que representaram a seleção brasileira, no I Mundialito de Power Soccer.

O Futsal é um dos esportes mais praticados do Brasil, na escola, na praça ou no clube é muito comum vermos pessoas de todas as idades praticando o Futsal. Então, é hora de conhecer o Histórico do Futsal. ?
     

A Origem: Onde e como surgiu o Futsal?

Futsal: História, Regras e Fundamentos

origem do Futsal tem duas versões divergentes sobre a origem do Futsal (Futebol de Salão). Uma das versões é que o Futsal começou a ser praticado na cidade de São Paulo/Brasil, na associação cristã de moços (ACM), na década de 1940, pois já havia uma dificuldade em encontrar campos de Futebol livres para a prática do esporte. A solução foi usar as quadras de Basquetebol e Hóquei para jogar Futebol.
    

Onde foi criado o Futsal?

A versão mais aceita da origem do Futsal é que Futebol de Salão teve sua origem no Uruguai quando começou a ser praticado na década de 1930 em Montevidel,também na Associação Cristã de Moços.

Quem criou o Futsal?

O professor de Educação Física uruguaio Juan Carlos Ceriani é considerado o criador do Futsal, que chamava o novo esporte de “Indoor-Foot-Ball”.

Quem criou o Futsal? Juan Carlos Ceriani

Curiosidades sobre a origem do Futsal

bola foi umas das primeiras adaptações que o Futsal precisou fazer precisou fazer em relação ao Futebol. A bola usada no campo era grande e quicava muito, para usar na quadra precisava de uma bola menor e mais pesada. E assim foi feito e o Futsal passou a ser conhecido como o “esporte da bola pesada”.

Outra adaptação que foi feita foi em relação ao número de jogadores de cada equipe no Futsal, já que os 11 jogadores do Futebol de campo não se encaixavam na quadra. Foram tentadas várias formações, até chegarem ao número de 5 jogadores por equipe.

O histórico do Futsal no Brasil

Em São Paulo/Brasil na década de 1950 o professor Habib Maphus foi responsável pela elaboração de normas para prática do Futsal/Futebol de Salão, além disso fundou a Liga de Futebol de Salão da Associação Cristã de Moços.

Ainda na década de 1950 foi fundada a Liga Metropolitana de Futebol de Salão, atualmente Federação de Futebol de Salão do Estado do Rio de Janeiro, a primeira federação estadual do Brasil. Nesse mesmo período foram criadas a federação mineira e a paulista de Futebol de Salão, a partir daí foram fundadas várias federações estaduais pelo Brasil.

Em 1957 a Confederação Brasileira de Desportos (CBD) criou o Conselho Técnicos de Assessores de Futebol de Salão, para conciliar divergências de regras e discutir o futuro do Futsal/Futebol de Salão no Brasil.

Também em 1957 houve a primeira tentativa de criação da Confederação Brasileira de Futebol de Salão, que não foi autorizada pelo Conselho Nacional de Desportos (CND). Só em 15 de junho 1979 foi realizada a assembleia oficializou e que fundou a Confederação Brasileira de Futebol de SalãoCBFS.

O Histórico do Futsal no Mundo

Em setembro de 1969 em Assunção no Paraguai foi fundada a Confederação Sulamericana de Futebol de Salão, com a presença de representantes do Futsal/Futebol de Salão do Brasil.

Em julho de 1971 em São Paulo/Brasil, com representantes de Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Peru e Portugal foi fundada a FIFUSA – Federação Internacional de Futebol de Salão.

Entidades Internacionais do Futsal

Primeiras Competições Internacionais do Futsal

Em 1980 foi realizado o primeiro Pan-americano de Futebol de Salão no México, com a participação de Brasil, México, Paraguai, Uruguai, Argentina, Bolívia e Estados Unidos. O Brasil foi o vencedor desta competição.

Em 1982 a FIFUSA realizou o primeiro Campeonato Mundial de Futebol de Salão/Futsal, em São Paulo/Brasil. O Brasil foi o primeiro campeão mundial de Futsal/Futebol de Salão, o torneio teve a participação de Brasil, Paraguai, Argentina, Costa Rica, Tchecoslováquia, Colômbia, Uruguai, México, Itália, Holanda e Japão.

Em 1985 foi realizado o segundo mundial de Futebol de Salão na Espanha, novamente vencido pelo Brasil. Já em 1988 o terceiro mundial de Futebol de Salão foi realizado em Austrália e vencido pelo Paraguai.

A FIFA assume o Futsal

A FIFA assume o Futsal


Em 1989 a FIFA – Federação Internacional de Futebol – resolveu entrar de vez na disputa pelo controle do Futebol de Salão, criando novas regras e mudando o nome para FUTSAL. No mesmo ano realizou na Holanda a primeira Copa do Mundo de Futsal da FIFA. A equipe brasileira do Bradesco foi autorizada pela CBFS a participar da competição e se tornou a campeã da primeira Copa do Mundo de Futsal da FIFA.

O Brasil no Futsal mundial

Um momento importante na história foi quando o Brasil, maior potência do Futebol de Salão mundial, oficializou a sua desfiliação da FIFUSA, aderindo a FIFA e ao FUTSAL. Sem dúvida um dos momentos mais importante do histórico do Futsal no mundo.

Veja também ⇒ A História do Futebol de Campo

Campeões mundiais de Futebol de Salão FIFUSA

  • 1882 – Brasil
  • 1885 – Brasil
  • 1988 – Paraguai

Campeões Mundiais FIFUSA

Copas do Mundo de Futsal

A partir de 1992 as Copas do Mundo de FUTSAL organizadas pela FIFA passaram a ser realizadas de 4 em 4 anos.

Os campeões da Copa do Mundo de Futsal da FIFA são:

  • 1989 – Brasil
  • 1992 – Brasil
  • 1996 – Brasil

Histórico do Futsal no Brasil

  • 2000 – Espanha
  • 2004 – Espanha
  • 2008 – Brasil
  • 2012 – Brasil
  • 2016 – Argentina

Contato

Email: 

lmfutsal@outlook.com.br

Telefone:
(45) 99804-0878

WhatsApp:
(45) 99804-0878

Horário Atendimento: