Dissertação: Da crise à oportunidade: o papel contingente da folga organizacional

Mestrando: Adriano Cavalcante da Silva

Orientadora: Profª Drª Maria da Piedade Araujo

Durante o processo de crescimento das empresas, o surgimento da folga é natural e necessária, levando os agentes econômicos a decidirem em que tipo de ativos esses recursos ociosos serão alocados, tendo em mente que, uma vez alocados, eles apresentarão atributos diferentes de liquidez e rentabilidade. Essa decisão se torna ainda mais importante, quando o ambiente econômico onde as empresas estão inseridas, apresenta grande instabilidade. Desta forma, o objetivo desta pesquisa foi mensurar a probabilidade de cada tipo de folga organizacional, contribuir para o melhor desempenho das empresas, quando estas enfrentam períodos de crise e de crescimento. Com dados contábeis de 281 empresas brasileiras de capital aberto, do primeiro trimestre de 2007 ao primeiro trimestre de 2019 (n = 13.769 observações), os resultados sugerem que a folga disponível (o tipo mais líquido da folga) é o melhor tipo de folga a ser mantido pelas empresas da amostra, enquanto a folga recuperável e potencial devem ser evitadas, a menos que elas possuam grandes oportunidades de investimentos, neste caso, um certo nível de folga recuperável também poderá ser mantido.