Discentes – sobre o ingresso nos cursos de graduação da Unioeste

  1. 1) Quando ocorrem as inscrições para o vestibular da Unioeste?

R: As inscrições para o próximo vestibular ainda não estão definidas mas geralmente ocorrem entre os meses de setembro e outubro. 

 

  1. 2) Qual o valor da taxa de inscrição?

R: Para 2018 será R$ 130,00 (cento e trinta reais) e poderá ser paga nas Lotéricas, agências da Caixa Econômica Federal e outros agentes que por ventura sejam autorizados.

 

  1. 3) É possível solicitar isenção dessa taxa?

R:Para requerer a isenção da taxa de inscrição do Concurso Vestibular 2018 será obrigatória a informação do NIS (Número de Identificação Social), no próprio formulário de inscrição.

 

  1. 4) Quais candidatos podem ter a isenção autorizada?

R: A isenção será concedida para candidatos que estejam inscritos no CadÚnico, o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.
O cadastro é feito nas secretarias municipais de assistência social ou nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras). 

 

  1. 5) Qual o período para solicitar a isenção?

R: O período para solicitação de isenção iniciará com as inscrições e, geralmente, encerra-se cerca de duas semanas antes do prazo final das inscrições.

 

Link para maiores informações sobre ingresso nos cursos de graduação da Unioeste: http://www5.unioeste.br/portal/vestibular/inicial-vestibular

 

Discentes – acadêmicos matriculados nos cursos de graduação da Unioeste.

  1. 1) O que é aproveitamento de estudos?

R: É o resultado do reconhecimento da equivalência de disciplina de curso de graduação da Unioeste, ou de conteúdo daquela, com a cursada na graduação ou pós-graduação em outra Instituição de Ensino Superior, ou por conhecimento adquirido em ambiente extraescolar, normatizado pela Resolução 100/2016 - CEPE.

 

  1. 2) O que é Extraordinário Aproveitamento nos Estudos aproveitamento de estudos?

R: É a possibilidade de abreviação do tempo mínimo do curso de graduação por acadêmicos que tenham extraordinário aproveitamento nos estudos, demonstrado em provas e outros instrumentos específicos de avaliação, normatizado pela Resolução 316/2011 - CEPE.

 

  1. 3) O que são Atividades Acadêmicas Complementares?

R: É o cumprimento da carga horária das atividades acadêmicas obrigatório, estabelecida no Projeto Pedagógico de cada Curso. É requerida pelo acadêmico, anualmente, até trinta dias antes do encerramento do ano letivo conforme previsto no calendário acadêmico, com o preenchimento de formulário próprio e cópia dos comprovantes das atividades realizadas, normatizada pela Resolução 099/2016 - CEPE.

  1. 4) O que é Colação de Grau: 

R: É um ato oficial realizado em sessão solene e pública, sob a presidência do Reitor ou representante por ele designado e na presença de, no mínimo, dois membros do Conselho Universitário, destinada a acadêmicos que tenham concluído integralmente um curso de graduação, normatizado pela Resolução 109/20017 - CEPE.

 

Link para maiores informações sobre a vida acadêmica: http://www5.unioeste.br/portal/prograd/acesso/legislacao-inicial

 

Servidores:

 

1) O que é acidente de trabalho e CAT?

R: CAT é a Comunicação de Acidente de Trabalho que ocorre no exercício das funções a serviço da empresa, no caso, o Estado, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause morte, perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho.
A doença ocupacional é equiparada ao acidente do trabalho, mas depende de investigação em medicina do trabalho e engenharia de segurança do trabalho.

CAT é a sigla para Comunicação de Acidente do Trabalho. É o documento utilizado para a formalização de um evento informando do acidente.

 

2) Quem preenche a CAT, e quando?

R: A CAT é preenchida pela Unidade de Recursos Humanos à qual o servidor está vinculado ou pela chefia imediata. Ela deve ser encaminhada à Perícia Médica ou às Juntas de Inspeção e Perícia Médica até 24 horas após a ocorrência, independentemente de concessão ou não de licença. A CAT por doença ocupacional não tem prazo para emissão, pois depende de avaliação e acompanhamento.

 

3) Como o ocupante de cargo em comissão deve proceder em caso de acidente de trabalho?

R: O servidor com cargo em comissão deve comunicar a chefia imediata ou a chefia da Unidade de Recursos Humanos, que comunicará o acidente ao INSS, em formulário próprio, no prazo de 24 horas da ocorrência.

 

  1. 5) Quais as condições em que poderá ser concedida licença para tratamento de pessoa da família?

R: A licença pode ser concedida quando houver necessidade de acompanhar o familiar doente na condição de cônjuge, filho, pai, mãe ou irmão, após avaliação médico-pericial. É necessária a comprovação de que nenhum outro familiar tem disponibilidade para realizar esse acompanhamento.

 

  1. 6) Servidores estatutários com licença para tratamento de pessoa da família mantêm vencimentos integrais?

Os servidores estatutários mantêm o vencimento integral se a licença for de até 90 dias, consecutivos ou não, dentro do período de 24 meses. Caso ultrapasse o período de 90 dias, consecutivos ou não, a licença somente poderá ser concedida com desconto. Ele será de 50% do vencimento, quando exceder de 90 dias a 180 dias. Caso a licença seja superior a 180 dias, o servidor não terá vencimento ou remuneração.

  1. 7) Existe um limite para concessão de licença para tratamento de saúde em familiares?

R: Sim. O limite para concessão de licença por motivo de doença em pessoa da família é de 360 dias.

 

  1. 8) Após o prazo de 360 dias, quando poderá novamente ser concedida licença para tratamento de pessoa da família?

R: Nova licença por motivo de doença em pessoa da família somente poderá ser concedida transcorridos dois anos do término da licença anterior.

 

  1. 9) Que documento apresentar para solicitar o benefício de licença por motivo de doença em pessoa da família?

R: Deve ser apresentado o atestado médico em nome do servidor, constando que é para cuidar do familiar, que deve estar identificado e citado o grau de parentesco. Também é necessário o código CID da doença diagnosticada. 

10)  O servidor ocupante de cargo em comissão tem direito ao benefício de licença por motivo de doença em pessoa da família?

R: Sim. O ocupante de cargo em comissão tem direito a licença por motivo de doença em pessoa da família. No entanto, pode ter, no máximo, 15 dias de afastamento num prazo de 60 dias com vencimento. Se a licença ultrapassar os 15 dias, ele deve procurar o Instituto Nacional do Seguro Social para obter licença médica e auxílio-doença.

11)  Em que condições é concedida a licença de aposentadoria por invalidez?

R: A licença de aposentadoria por invalidez é concedida ao servidor considerado incapacitado definitivamente para o trabalho após avaliação pela Perícia Médica e homologação pela ParanaPrevidência.

12)  Posso requerer a licença para trâmite de aposentadoria por invalidez?

R: Não. A aposentadoria por invalidez é de iniciativa e sugestão da Perícia Médica e posterior avaliação médica e homologação pela ParanaPrevidência, não havendo necessidade de solicitá-la.

 

Link para maiores informações sobre a vida acadêmica: http://www1.unioeste.br/prorh/ e

http://www.portaldoservidor.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=653